Lula: de 1980 à 2010. Quem é ele?

Posted by : Neto | 09 setembro, 2009 | Published in

É verdade que o presidente Lula fez muita coisa pelos nordestinos. Não há como discordar de sua iniciativa por lá. Com a política de benefícios sociais, ele conseguiu acordar a adormecida classe C, e não totalmente, retirar da miséria muitos pobres que viviam abaixo da linha da pobreza, e sem ter direito o que comer. No entanto, também é verdade que ele usou "essa mesma política de incentivos ao crédito e esses programas assistencialistas" para manter-se no poder junto com sua trupe. Qual é o pobre hoje que não tem um cartão de crédito para fazer sua feirinha básica?

Brasil: Terceiro mundo se for... Piada no exterior...

É verdade também que uma enorme distância que existia entre pobres e ricos foi diminuída no seu governo. Entretanto, não houve sequer nenhuma contrapartida digna na educação, na cultura e no trabalho para alimentar essa 'nova gente'... O bolsa família é o programa chave, e o mote do governo dele, e eu cheguei até a conhecer quem o chama de 'o papai Lula do povo' por conta disso.

Enquanto Lula anda com a Dilma a tira colo por aí, inaugurando até banheiro de rodoviária para emplacá-la nas eleições à presidente, vamos conhecer um pouco mais sobre a sua história.
Lula: depois da segunda dose
Para refrescar a memória

No auge das suas campanhas eleitorais à caminho da presidência da república, nas décadas de 80 a 90, o sindicalista Luís Inácio Lula da Silva disse as seguintes frases sobre os políticos: "Há pelo menos 300 picaretas no Congresso Nacional", "O grileiro José Sarney não passa de um ladrão", "A falta de honestidade de Paulo Maluf leva a sociedade a meditar", "Precisamos estar unidos para defender o impeachment de Collor", "PC Farias é quem comanda o esquema de roubos da república das Alagoas e do Brasil", etc e etc.

Não, não é conversa pra boi dormir. Basta ler as revistas e os jornais da época para comprovar. Hoje, o Sr. Lula defende Sarney em praça pública, é contra as passeatas em favor da ética e da moralização, inaugura obras em Alagoas ao lado de seu ex-rival Collor e rasga elogios a ele, faz de Renan Calheiros o comandante de sua tropa de choque, e sobre o Maluf, ao contrário de antes, diz que ele "deixou sua marca de um grande governante de São Paulo", etc e etc.

O nosso ditado popular diz que, com o tempo, as pessoas mudam, mas é um ditado falso.
O verdadeiro ditado é aquele que diz que, as pessoas não mudam com o tempo. Com o tempo, elas apenas se mostram como verdadeiramente são.

Moral da história: Lula é o exemplo vivo do que é um ser "político" no Brasil.

(9) Comments

  1. Renata Rocha said...

    Olha, se eu que nao tive tantas mudanças fisica e ideologicas, nao sei quem eu sou... o Lula para mim é um daqueles enigmas indecifráveis !

    9 de setembro de 2009 16:06
  2. Daniel

    Lula e o exemplo daquele velho dito popular que diz, quer saber quem e uma pessoa, de poder a ele. Lula fez assim em seu Governo algumas acoes interessantes, contudo, fez do PT um partido corrupto que almeja a todo custo manter-se no poder. Um abraco.

    http://contesta-acao.blogspot.com

    9 de setembro de 2009 16:14
  3. Atila said...

    Pôxa Neto! Cara fiquei com pena no nosso Presidente hehehe
    Sabe nunca na história deste Pais tivemos um Presidente tão aos extremos, vindo de uma imagem sindico-socialista e semi analfabeto, tento como seu maior marketing uma pessoa que veio do povo, que defendeu os trabalhadores brasileiros (em partes isso é verdade) afinal, o cara lutou da sua forma contra a ditadura, um operário, que fala errado e mesmo assim é carismático e que teve a coragem que somente a ignorância nos dá para bater no peito e defender "de forma transparente" o desejo dos pobres contra os ricos.
    Mas sua insistência em competir pela Presidência da República o fez ganhar popularidade, tanto que dentre os concorrentes da ultima eleição, ele era o que mais havia disputado!
    Sabe a contradição dele se dá aí. Penso que no começo era apenas um fantoche na mão de velhos comunas por causa de seu triste acidênte de trabalho, ele seria o icône do avante comunista no Brasil, mas de tanto lutar agente cansa, e o tempo nos mostra que nem toda a beleza das palavras podem se tornar atos, quando dependemos de uma conja de interesseiros que tem por direito negociar cada decisão.
    Mas vou aproveitar o ensejo deixado para um dito popular: " O mundo da voltas", e, "horas estamos por cima da carne seca e outróra estamos por baixo dela". Sabe é um pouco como a vida da gente, tem horas que estamos soltos pelo mundo e tem horas que o mundo nos prende. Não julgo o Lula pela sua história, nem gosto de julgar os outros pelos erros do passado, já que todos erramos, mas, ao se tratar do Lula, como digo no meu primeiro texto aqui, sou anti-lulista de graça. Reconheço que o Brasil tem caminhado por bons caminhos e a qualidade de vida tenha melhorado (em termos, e ainda longe de situação ideal) e reconheço que ele tem se omitido de mais no campo politico. Agora sabe que esta contradição fez ganhar certa adimiração, porque em olhos politicos o cara é um incompetente, mas em termos de negociação comercial o cara até que manda bem. E de um fantoche comunista para um Presidente com esboços Capitalista o Luiz Inácio da Silva (Lula) tem se mostrado a contradição dos costumes Brasileiros. Que oras se mostra como cegos para tantas atrocidades, oras pensa em como podemos ganhar mais dinheiro com a situação do mundo.
    E em clima de citação, vou deixar para nós um trechinho de uma musica:
    "Vai passar nessa avenida um samba popular
    Cada paralelepípedo da velha cidade essa noite vai se arrepiar
    Ao lembrar que aqui passaram sambas imortais
    Que aqui sangraram pelos nossos pés
    Que aqui sambaram nossos ancestrais
    Num tempo página infeliz da nossa história,
    passagem desbotada na memória
    Das nossas novas gerações
    Dormia a nossa pátria mãe tão distraída
    sem perceber que era subtraída
    Em tenebrosas transações
    Seus filhos erravam cegos pelo continente,
    levavam pedras feito penitentes
    Erguendo estranhas catedrais
    E um dia, afinal, tinham o direito a uma alegria fugaz
    Uma ofegante epidemia que se chamava carnaval"
    Vai Passar - Chico Buarque
    Meu amigo, adorei poder ver pontos em comum em nossos Pensamentos sobre o "Cara" e poder falar um pouco da forma como eu vejo.
    Obrigado Parceiro.
    Ps: vamos falar de pré sal na segunda?.. .

    9 de setembro de 2009 17:49
  4. A Itinerante - Neiva said...

    Neto,

    Desculpa, estou com muito sono para concatenar tico e teco e produzir um coment razoável, então só queria dizer que li, adorei e li também os coments. Gostei do coment do Átila também. Acho que complementou muito bem seu post.

    Parabéns a ambos.

    Beijos

    9 de setembro de 2009 19:10
  5. J. Neto said...

    @Renata, @Daniel, @Neiva e @Àtila
    Obrigado pelos comentários.

    Graças à Deus, as coisas no Brasil não caminham mais como antes, quando os pobres eram de fato tão excluídos que nem voz tinham para falar. Hoje, temos. Todos temos. Concordo que devemos ter uma visão de futuro sempre. Não só para extrair dele o que é melhor para nós, como também para ver o que é melhor para a sociedade. Para nosso bairro. Nossa comunidade. Não somos únicos e não somos sós.

    Não estou, e nem sou, contra o presidente Lula - que isso fique bem claro. Reconheço seu poder de negociação e suas qualidades como presidente - na verdade, inenarráveis e bem diferentes de certos covardes políticos que vemos por aí. Minha intenção foi mostrar a contradição das palavras de um homem que, bem ou mal, aprendeu na vida como é, e como faz pra 'viver e 'sobreviver' nesta selva de pedra. E desta forma tornar-se presidente. Gosto do que ele proporcionou, apesar dos erros, com sua política de benefícios aos pobres embora preferia que fosse mais. Que fosse diferente, e que não fosse tão clientelista.

    Hoje, já não se pode mais fazer as coisas "pelo" povo, deve-se fazer "com" o povo. O Brasil não é mais o país do futuro. O futuro já chegou. Está aqui. Precisamos ampliar nossos laços, melhorar nossa educação, valorizar nossas qualidades, aprender coisas novas e nos instruir no que diz respeito à sociedade, e a nossos direitos.

    Estamos diante de uma grande oportunidade que se não soubermos aproveitá-la perderemos.

    E acho que de alguma forma, este presidente que aí está (o Lula), também sabe disso.

    Abraços a todos.

    9 de setembro de 2009 20:35
  6. Paulo R. Diesel said...

    Vendo os progressos na área social deste governo, não consigo entender certas posiçoes que o nosso presidente adota. Tantas oportunidades de jogar a pá de cal e ele dá sobrevida a estas pestes nacionais. Acaba comprometendo sua trajetória.

    Abraço, Neto

    9 de setembro de 2009 22:48
  7. Pâmela Rodrigues said...

    Lula é aquele tipo que convence. Dava pra acreditar nele. Mas hoje eu sei que se todos nós tivéssemos sido mais atentos aos passos dados bem antes da aliança PT-PL, veríamos o Lula de agora sem as "oportunidades" e "espaços" que ele tem de mostrar quem é.
    Apenas galgando.
    A militância de 89 não merece ver e viver o Brasil de hoje, aquele militância era de verdade.
    Enfim....

    Belo texto querido.

    Abraços, sigamos!

    10 de setembro de 2009 00:37
  8. Valéria de Oliveira said...

    Que ótima lembrança ein Neto? Deve ser por este motivo que querem censurar a era da internet!!! Um brinde a liberdade de expressão. Tudo politicagem, a mão lavando a outra (geralmente sujas) e assim vai...A imprensa deveria refrescar a memória do povo brasileiro...

    Bacana!!!

    Atila, eu cheguei atrasada, mas li seu post. Tem comentário lá

    Beijos a todos

    10 de setembro de 2009 22:33
  9. Dri Viaro said...

    "airreitiu" Lula hehe
    bjsss bom fds

    11 de setembro de 2009 08:46