Viva la Tequila

Posted by : atilacity | 14 setembro, 2009 | Published in

Sabe amigos, semana semana passada após pedir-lhes uma esmola para garantir o pão nosso de cada dia, hoje aproveito para chamar-lhes para tomar uma pré-Tequila com direito a pré -limão, mas falando sério deixo a vocês uma reflexão de um amigo sobre o Pré Sal...


"O Palácio de Cristal
– ou -
O Conto da Carochinha do Pré Sal"


O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, mais uma vez desinforma ao invés de informar.
Tanto no caso dos aviões franceses em que no dia 8 de setembro o negócio estava fechado, e que no dia seguinte estava desfeito, tudo isso com direito a desmentido pelo Ministro Nelson Jobin, quanto no caso do Pré Sal em que muitos do Governo falam e poucos dizem coisa com coisa.
O caso não é assim tão simples e nem tão bonito quanto parece.
O que o nosso Executivo Mor pretende é usar uma coisa não compreendida pela esmagadora maioria da população como alavanca eleitoral para impor, goela abaixo do povo, sua candidata Dilma Rousseff.
E segue dando lições de moral, como se moral tivesse, afirmando, no dia 6 de setembro "O Brasil não sairá como os novos ricos, esbanjando os recursos que poderão ser gerados pela possível imensa riqueza petrolífera descoberta no pré-sal”. Veja-se que ele disse e eu repito “POSSIVEL IMENSA RIQUEZA”. Assim dito, parece que os estudos sobre a extração, refino, transporte e comercialização do pré petróleo do pré sal estão pré avançados. Não é isso. A verdade é que essa possibilidade de existir imensa quantidade de óleo na camada abaixo dos seis ou sete quilômetros de sal não passa de hipótese.
Sim, há estudiosos do assunto que afirmam existir tal possibilidade, mas até o momento ninguém – eu disse ninguém, nenhuma pessoa – sabe ao certo. Trata-se de uma aposta.
Não que não devamos apostar, não é isso. A possibilidade é imensa, dizem, e quem não arrisca, não petisca.
A questão que sobressai é a presença do Estado, que já é forte, e que se pretende ainda mais forte.
Será que precisamos de um Estado (que é adstrito à regra da estrita legalidade, e que por isso mesmo precisa licitar até a compra de papel higiênico) detentor da maioria das ações dessa nova empresa?
Se pensarmos bem, teremos os funcionários públicos – que têm estabilidade no emprego e salários garantidos por nós mesmos – cuidando desse petróleo.
Tem outra questão incomodativa: a da distribuição da “possível imensa riqueza” entre os entes federados.
Os Estados e Municípios mais pobres, e que não participam da geração da riqueza, ganhariam fatia maior do bolo (que ainda está sendo preparado, e o forno ainda nem está aceso), enquanto os que participassem diretamente teriam, consequentemente, menor participação. É assim que funciona teoricamente, mas na prática, quantos dólares “cuecais” ainda teríamos com a União assim mais forte? Quantos atos impublicáveis (leia-se secretos) ainda teríamos que engolir? Quantos processos seriam arquivados, quantas CPIs da Petrobras seriam enterradas?
O próprio Lula confessou seus temores naquele fatídico dia 6, véspera das comemorações da independência. Disse o nosso Capitão: "Não vamos repetir os erros de outros países, porque sabemos que a riqueza do petróleo é uma faca de dois gumes", e completou (ou locupletou-se?) "Este 7 de setembro será o dia de uma nova independência e seu nome é o pré-sal".
Toda vez que Lula fala, volta a defender o marco regulador que propôs o que reforçaria a presença do Estado na indústria petrolífera.
A oposição em franca minoria protesta.
Pela teoria Lulista "o Brasil não pode ser um mero exportador de petróleo" mas um pólo petroquímico mundial, para dar valor agregado ao petróleo e exportar derivados, "que valem muito mais". Palavra da Salvação!!!
As confusões do Governo esbarram nos escalões menores. O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, em sintonia com os maneirismos lingüísticos do timoneiro da Nação disse: “o petróleo existente na camada do pré-sal, em águas ultraprofundas, não é uma vaca leiteira na geração de recursos financeiros”.
Como todos os faladores de plantão, o executivo da estatal fala em “enormes potenciais de exploração do óleo com baixo risco”. Segundo ele, a estimativa é de que apenas em três dos campos do pré-sal – Tupi, Iara e Parque das Baleias – a produção seja de algo entre 9,5 e 14 bilhões de barris. Volume que, segundo ele, representa o dobro das reservas brasileiras em produção atualmente.
Não podemos torcer pelo pior, mas não devemos nos perder no ufanismo contagioso do governo que viveu das ilusões que imprimiu no povo, sobretudo nos menos afortunados (leia-se fome zero, arauto da honestidade, bastião da moral e da ética e outros quetais).
Apesar disso tudo, a popularidade do nosso Almirante caiu quatro pontinhos. Nada que o preocupe demais, enquanto conseguir manter o efeito teflon dos últimos nove anos.
Resta saber se ele conseguirá a proeza de carrear votos para sua fiel escudeira.

Fonte: Almir Ramos da Silva (Clique Aqui)


O autor do texto acima é uma das minhas fontes de pesquisa, um cara antenado e que tem um dom em usar as palavras, deixo o texto como dica para todos nós, mas vou além indico para que leiam também a crônica "A fotografia 3x4" que retrata com bom humor uma situação corriqueira e intrigante, sem contar que o toque de humor. Meus amigos para tocar no assunto: Pré Sal, por eu não ter formado uma opinião conciza e aprofundada (ao menos uma opinião clara) resolvi pedir ao Dr. Almir o presente texto, claro que, compartilho de opiniões favoraveis ao texto, e acho que pode sim ser uma manobra politica, mas, se estivermos prestes a explorar uma mina de petróleo que vai elevar o nivel de vida do nosso sofrido povo Brasileiro que seja muito bem vindo. Convido a todos a participarem dessa discução, especialmente peço para nosso companheiro Neto a deixar um texto sobre o tema, já que é alguém, assim como todos aqui, que gosto de ler e opinar.
Desejo a todos uma exelente semana
Atila City

(16) Comments

  1. Jairo Souza said...

    Ótimo texto átila! o Almir ecreve mt bem! E a situação é essa do que Lula nunca tirou vantagem? Me diga?

    14 de setembro de 2009 01:26
  2. Dri Viaro said...

    Estou passando pra contar que fomos Top2 na categoria humor do Top Blog, obrigada a todos que votaram, em 2010 tem mais.
    As fotos do evento estão no blog
    bjssss e boa semana

    14 de setembro de 2009 07:41
  3. Neto said...

    @Átila

    Parabéns por sua clareza e pelo manifesto. Você é uma daquelas pessoas que, evidentemente, tem muita coisa boa a oferecer para todos nós. O admiro, não só pela sinceridade de suas palavras o quanto pela dedicação às causas sociais que é notável nos textos que acumula em seu blog.

    No entanto, permita-me hoje discordar um pouco de sua fonte. Como aconselhado por você visitei o colunista do artigo e notei muita inteligência e perspicácia da parte dele em abordar os temas, alem de uma boa visão. Mas, especificamente, neste texto, notei um certo desconhecimento ou talvez, rancor.

    Óbvio que ele é um colunista. Assim como qualquer um de nós que postamos opiniões em nosso blog. Opiniões são opiniões e pronto. Porem pude perceber mais parcialidade do que imparcialidade no seu texto (na verdade, apenas nesse artigo, pois em todos os outros que li ele mandou bem).

    É fato que Lula quer alavancar Dilma com o assunto pré-sal. E é fato também que este tema é ainda muito 'virtual' para nós pois esta 'mina em ouro' só trará bilhões e bilhões em doláres lá por volta de 2020 a 2030 no país.

    Lula tenta, assim como qualquer presidente que se vicia no poder, se manter perenemente no cargo usando isso. Ano que vem pretende emplacar Dilma, e no próximo ano, ele volta nos braços do povo e em seguida arruma outro e o circulo permanece...

    É evidente que há um interesse político e eleitoreiro dele nessa questão, mas diferente do que disse o colunista, o pré-sal é real. E existe. E se bem administrado financeiramente fará um bem para a nação.

    O desafio do Brasil é como retirar do infinito fundo do mar toda esse oleo. Terá que ter projetos. Terá gastos imensos. Precisará investir em parecrias com o setor privado (lei-se empresas). Terá que aumentar os royalties e dividendos, e sem contar que terá que administrar essa 'guerra' que vai surgir entre os estados pela fatia do bolo.

    Mas daqui até que isso aconteça Lula não estará mais no poder. A petrobras tem cacife na exploração, perfuração e comercialização de petroleo no país mas estará nas mãos de quem

    E é por isso que ele, usando de sua 'sabedoria', se aproveita do fato para manter o PT no poder estrategica e maquiavelicamente.

    Abraços

    14 de setembro de 2009 16:33
  4. Neto said...

    Offtopic.

    E este assunto é deveras interessante para mim, já que sou investidor da Petrobras e tenho ações da empresa em minha carteira.

    Parabéns pela abordagem, Átila!

    Forte abraço

    14 de setembro de 2009 16:48
  5. Almir Ramos da Silva

    Obrigado pelos comentários.
    Não posso resistir em responder ao J. Neto que certamente gostou do meu escrito, dados os elogios, mas, na pressa de comentar, deixou de observar detalhes que estavam no texto comentado.
    Não há o ranço sugerido do rancor. Nada disso porque não é o que me move.
    Escrevi o texto não porque tenho esta ou aquela opinião, falo com qualidade de firme convicção do que digo. Minhas opiniões são embasadas, têm o que chamo de estofo, conteúdo e não apenas uma postagem sem compromisso nos blogs da vida, não são simples palpites e pronto como pretendeu sugerir o leitor.
    O que abrolha ao estudar o tema é o abuso do interesse eleitoral, como tudo na vida do nosso dirigente, de quem não guardo nenhuma admiração e explico porque: dois são os motivos:
    Por primeiro, antes de ser presidente, ele dizia (e demonstrava) ser uma pessoa proba e honesta, cujo conhecimento vivenciado de moral e ética pairava acima dos cidadãos comuns. Eleito presidente o primeiro ato foi revogar (ou negar validade) os preceitos éticos e morais;
    O segundo motivo é menos nobre, reconheço, mas não menos importante: é o fato de ele ter tido exatos vinte anos desde que se lançou na política, fundando o PT e promovendo as famosas greves do ABC, até se tornar o dirigente da nação. Há vinte e muitos anos ele empunhava a bandeira de não ter tido oportunidade de estudar, tendo mal completado o primário. Vinte e poucos anos mantido pelo partido e não se dignou a estudar, ainda que fosse para justificar cada um dos milhões de votos que recebeu.
    A historia política desse homem é tortuosa, sendo que quando representante legislativo nada fez. Assim como nada fez como presidente. É um fiasco.
    Reconheço que coloquei demais tempero nos dizeres sobre hipóteses do pré sal. O pré sal é real e existe mesmo, como bem observou o atento comentarista.
    O que se não pode acreditar é que os dividendos cheguem em 10 ou 20 anos. Ponham-se muitos anos mais e muito investimento mais. O buraco é bem mais embaixo.
    Lula, se der mesmo tudo certo, não estará mais pelas bandas de Brasília.
    Quiçá esteja com dona Mariza, cidadã italiana (tinha de se preocupar com o futuro, não?) em algum país mais desenvolvido. Quem sabe nos Emirados Arabes?
    O conto de fadas vai virar realidade: Lula, Babá e os 400 ladrões do PT.

    14 de setembro de 2009 20:43
  6. Anônimo

    Excelente o texto, mas não vou comentar, você não sabe, mas sou a fã nº 1 do Lula, hehehe... o Daniel sabe.

    Adorei a imagem do Garfield, que como eu adora as segundas-feiras.

    Boa semana.

    15 de setembro de 2009 06:47
  7. Lugirão said...

    Desculpe sou o anonimo do post anterior.

    15 de setembro de 2009 06:48
  8. Atila said...

    Jairo, muito origado pelo comentário, sim sim, ele escreve bem e tem opiniões polêmicas e o melhor, aceitou numa boa mandar um texto para comentarmos, sobre a sua pergunta, acho que os comentários do Neto e do Almir, respondem em partes sua pergunta.
    Obrigado mais uma vez

    Dri, meus parabéns por mais esta conquista.

    Neto, meu caro, o que comentár? claro que tenho que agradecer pelo tempo que passou dando uma olhada no Pensamentos Urbanos e sim, sou muito preocupado não só com o social, mas com a qualidade de vida das pessoas e acho que quando falamos em Pensar, se remete em refletir onde esta errado e em como pobres mortais conseguem fazer algo para mudar.
    Mas vamos ao seu comentário, o qual fiz questão de esperar pelo autor responder para me manifestar.
    Bom apesar de não ter uma base sobre o tema, tenho agora mais dois pontos de vista para absorver e pesar, mas até então e sem certa influência dos comentários (e texto) acho que:
    1 se acontecer de ficarmos ricos, o Brasil no Primeiro Mundo, todos tendo uma qualidade de vida maior, ótimo, que seja logo e duradouro (como dizem aqueles que desejam prazer) e que tudo seja sim um conto de fadas perfeito.
    2 Se for mais uma manobra politica que enriquecerá apenas sungas, meias, bancos na suíça (paraísos fiscais) e outras artimanhas das quais estamos estafados de assistir no jornal, prefiro que, primeiro esperemos as eleições ano que vem e dependendo do resultado começar a pôr em discução sobre o ovo no C* (orificio anal) da galinha, ou seja a grana e com quem deve-se partilhar.
    Temos sim, uma mega empresa que tem experiência na extração e comercialização, e que ja teve seus "Ratos" no comando, não sabemos mas poderá haver outros ratos no comando, daqui a o que? 20, 30 anos, e isso só saberemos se forem pegos, neste caso, prudência pode ser um bom modo de ver este novo achado.
    Sei que pode ser muito bom, bem como pode ser até prejudicial, é bom ter esperanças, mas não santifique tanto assim o presidênte pois em 8 anos de mandado e mais outros de politica, ja deu para perceber que não é tão santo, temos que ter os pés no chão de vez enquando, deveria ser mais, porém, de 2 em 2 anos surge a conciência politica das manobras de campanha, que poderão ser promessas que deixarão de ser cumpridas.
    Por isso, vamos a reflexão do tema temos que sonhar, mas prestar atenção para não sonhar de mais, os pés no chão podem nos prevenir de elegermos ratos com caras somente diferentes e atos que poderão ser até piores.
    Vamos não reeleger ninguém e começar a cobrar os caras com manifestações de varias formas, artisticas, musicais e até mesmo em gritos de ordem (de prefêrencia, sempre pacificas). Para que mudemos o coração sofrido desta nossa gente e se caso em 20/30 anos o pré sal nos traga a riqueza de um primeiro mundo, que não nos tornemos havarentos e mesquinhos por ter esquecido quem fomos 20,30 ou 100 anos antes.
    Acabei deixando minha mensagem direcionada ao comentário do neto, mas gostaria de dizer que é meu ponto de vista e ja respondendo ao comentário do Almir.
    Obrigado Neto, pelos elogios e participação.
    Almir eu também só tenho a lhe agradecer, sua participação foi fundamental para a reflexão do tema, seu texto nos mostrou faces de um tema interessante e atual. Obrigado

    Lurgião, hehehe.. eu escolhi a segunda feira em homenagem ao garfield, como ele eu também tenho uma relação intensa com as segundas feiras..

    15 de setembro de 2009 11:17
  9. Neto said...

    Bom.
    Obrigado mais uma vez a todos.
    Desde já fiquem cientes que debates são isso mesmo. Posições e opiniões diferentes sendo colocadas todas encima de uma mesa para uma boa análise e compilação.

    @Sr.Almir
    Creio que em nenhum momento ficou reverenciado no meu comentário uma sugestão negativa ao seu foco - penso até que a pressa foi sua nessa análise. Existiu o contrário. Elogiei seu trablho e sua expertise em abordar certos temas.

    No entanto, sabemos todos, que fica dificil para qualquer pessoa não passarmos uma análise negativa sobre algo ou alguem em um artigo quando esta é nossa posição convicta. Esta história de parcialidade e imparcialidade vem de longe. Muitos foram os jornalistas de renomadas editoras que 'pincelaram' e 'sugestionaram' fatos baseado somente naquilo em que eles acreditavam à seus leitores. É algo natural do ser quando estamos diante de um caderno para escrever, de uma tela do word para trabalhar e uma oportunidade de se mostrar. é compreensivel.

    Exatamente por este motivo não segui a carreira oficial de jornalista. Sabia que não teria condições de ser imparcial todo o tempo.

    O tema Pré-sal é relevante e importante. E no meu último paragráfo faltou uma interrogação. Havia uma pergunta:
    A petrobras tem cacife na exploração, perfuração e comercialização de petroleo no país mas estará nas mãos de quem?
    Como nossa atual política não tem membros dignos e a altura, e são todos ratos e toupeiras, que não podem ver um buraco, sabemos todos como é complicado isso.



    Particularmente, eu não tenho nenhuma afeição pelo presidente Lula. Nem sequer votei nele para presidente em nenhuma das duas eleições.
    Entetanto, tive que aceitar que muitas coisas foram, de fato, realizadas em seu governo em prol das causas sociais (algo que me importo, pois sou um lutador convicto em questões de ética e justiça). E coisas que não foram realizadas em governos anteriores quando havia a mesma possibilidade para tal.

    Pore, apesar do que digo, não pensem que sou uma pessoa que julga um homem por seus feitos. Sou diferente. Em momento nenhum seria capaz de julgar um homem por suas realizações o separando de seu caráter e de sua moral, quando ele tem - e se tem.

    aqui mesmo, nesse veicúlo de comunicação manifestei por muitas vezes minha vontade de que as pesoas tenham mais consciência na hora do voto, em prol de ter (e ver) um Brasil mais inteligente e livre.

    Gostaria que conhecesse melhor o meu currículo sr. Almir. Talvez assim pudesse perceber que, nem por uma pressa nem por sugestão, eu decido (ou se decide) algo na vida. Seja no meio profissional ou pessoal. Ou num simples blog como este.

    Um forte abraço, e mais uma vez parabéns pelo trabalho que vem realizando.

    15 de setembro de 2009 13:06
  10. Neto said...

    Ah!... E ao @Átila.

    Fique tranquilo. Não sou nenhum santo e nem tenho vocação para tal.

    Só não vou deixar de admitir o que uma pessoa não escolarizada como o Lula fez pelo país, quando 'tantos' escolarizados nada fizeram - e cuja sua 'leva' só sabe criticar de forma bem letrada mas embasados unicamente no lado pessoal.

    []'s

    15 de setembro de 2009 17:13
  11. Almir Ramos da Silva

    Claro que não é possível ser imparcial. A própria imparcialidade denota parcialidade.
    Quanto a conhecer seu curriculo, não sei porque o senhor disse isso, já que não o menosprezei, ao contrário, reconheci o tempero amargo que coloquei no texto exordial e, em reconhecimento ao seu protesto, declinei em favor do que o senhor havia afirmado.
    Quando falei que eu não emitia palpites, falei de mim, não de outrem, os quais não conheço e portanto não posso emitir qualquer opinião.
    Quanto ao tema do debate, o pré sal, considero ufanismo propagandear o que já se conhecia há anos, como se novidade fosse.
    Por outro lado e para apimentar os comentários dos demais leitores, não coloquei no texto inaugural deste embate a problemática ambiental, tão em moda hoje em dia.
    Caros demais leitores, alguém imaginou um pequeno acidente em alto mar com a extração do pré petróleo do pré sal? Não estou falando da boca para fora, não. Há poucos anos houve um acidente grande em uma plataforma petrolífera da Petrobras, a P. 54, no qual ninguém falou do dano ecológico. As proporções de um acidente assim nas bacias onde encontrados os sinais do petróleo seriam gigantescas.
    Sem pensar também, e não aventei no texto, no esgotamento do modelo energético fóssil, caindo em desuso no mundo todo.
    Não, amigos! Não será essa a nova independência do Brasil. Será, sim, o inferno dantesco que nem em pesadelos podemos imaginar. Mas o governante de plantão vai levantar o cajado, abrir o mar e encontrar outra solução mágica nesse conto de fadas em que vive o nosso povo.
    Assim, viveremos nossa ilusão e seremos felizes para sempre...

    15 de setembro de 2009 17:13
  12. Almir Ramos da Silva

    .. E mais não falo que não seja sobre o tema proposto.

    15 de setembro de 2009 17:16
  13. saudepelasplantas said...

    Boa noite Átila,

    Sobre o artigo do Sr Silva, mais precisamente no trecho "A verdade é que essa possibilidade de existir imensa quantidade de óleo na camada abaixo dos seis ou sete quilômetros de sal não passa de hipótese. Sim, há estudiosos do assunto que afirmam existir tal possibilidade, mas até o momento ninguém – eu disse ninguém, nenhuma pessoa – sabe ao certo. Trata-se de uma aposta.
    Não que não devamos apostar, não é isso. A possibilidade é imensa, dizem, e quem não arrisca, não petisca."

    O que se pode dizer e comprovar é que existem "três fatores que reforçaram a importância da Petrobrás e a credenciaram ainda mais para desenvolver o
    pré-sal: (1) A PETROBRAS COLOCOU EM PRODUÇÃO o primeiro poço do campo de Tupi - NA ÁREA MAIS IMPORTANTE DO PRE-SAL -
    produzindo 15.000 barris por dia, mostrando que tem capacitação e competência para desenvolver a província e calando a mídia e os lobistas que lançavam dúvidas sobre sua capacitação; (2) a empresa passou, segundo o Reputation Institute (RI), órgão internacional especializado, de 20ª para 4ª companhia mais admirada do mundo; (3) foi incluída, segundo relatório técnico do banco Goldman
    Sachs, entre as 10 empresas mais viáveis do planeta, junto com sete
    empresas americanas, uma israelense e a Companhia Vale do Rio Doce. Mas a Petrobrás foi ainda considerada a mais viável entre as empresas petrolíferas, tanto por sua capacitação, quanto pelas reservas que controla."

    Amigo Átila, visite o link abaixo onde você pode obter informações bem relevantes sobre o assunto em pauta: http://www.aepet.org.br/index.php?5gzN5czMyEDN20zbkVXZ052bj9FZpZSM98GZ1VGdu92Yf9GcpRnJ39Gaz91bkVXZ052bj1jbvlGdjFmJvRWdlRnbvN2Xk5WZ052byZWPlN3chx2YzgzM4ATO

    O PRÉ-SAL NÃO É HIPÓTESE É REALIDADE. Visite www.aepet.org.br.
    Boa noite e um abraço fraterno,
    Edilza

    15 de setembro de 2009 22:58
  14. parabolas said...

    O que mais se vê por aí são pessoas letradas querendo provocar a 'cultura do medo' na população com suas tempestades negativas de informação.

    A Petrobrás não se tornou a 4ª maior empresa petrolifera do mundo se não tivesse um rigoroso processo estrutural. Ela é um orgulho para todos nós brasileiros.

    Falar em 'acidentes' é ser pessimista demais com um processo de evolução que o Brasil precisa. Como será que uma pessoa com essa mentalidade vive em sua casa hein?

    16 de setembro de 2009 08:23
  15. parabolas said...

    Nota-se rapidamente que quem fala em 'acidentes de percurso' todo o tempo, e perpetua esse espirito pessimista, desconhece o que a Petrobras já fez até agora para minimizar os riscos de que isso ocorra, e o que pode fazer caso e 'se' isto viesse a acontecer.

    Pessoas assim torcem pelo fracasso do Brasil.

    16 de setembro de 2009 08:27
  16. Almir Ramos da Silva

    Não creio que ofensas pessoais vão minimizar a verdade de termos um governo temerário e que acidentes realmente acontecem. Fechar os olhos não admitindo possibilidades, permanecendo no otimismo ufanico, é o mesmo que apostar na loteria esperando ganhar amanhã. Pode funcionar, mas depende de sorte.
    Esta é minha última postagem sobre o tema.

    16 de setembro de 2009 09:17