CRÔNICA DA TRAGÉDIA ANUNCIADA

Posted by : DANIEL MORAES | 23 outubro, 2008 | Published in


“Dei meu coração, mas ela queria a minha alma”.
Bob Dylan

O caso de Santo André envolvendo a adolescente Eloá e Lindeberg é o caso clássico daqueles indivíduos que amam demais.

Segundo artigo publicado na revista “Caras” da psicanalista Beatriz Kuhn, pessoas que amam demais “estão repetindo um padrão infantil de relação que não conseguem ou não querem renunciar à idéia de que o outro é peça original que lhes falta para se sentirem completos”; e cita a MADA (Mulheres que Amam Demais Anônimas), que é nos moldes dos A.A, como forma de recuperação a esse tipo de pessoas e que existe no Brasil.

Mas esse tipo de obsessão é unissex, e atinge uma parcela da população mundial que acredita que o outro é sua propriedade, numa espécie de vício, obsessão e loucura. São relacionamentos conturbados, onde a pessoa acha que amar é obrigatoriamente sofrer, sufocando o parceiro e fazendo com que o indivíduo perca a sua individualidade, sendo propriedade da pessoa possessiva e voraz.

Contudo, além do problema psíquico de Linderbeg, há uma questão que a muito alerto e registrei aqui quando do assassinato dos dois irmãos pelo pai e padrasto. Sexo é bom, delicioso e querem saber, se pudesse, praticava todo o santo dia! Faz bem pra pele, pro corpo e pra alma, todavia, quando há a união de dois pares de cromossomos e nove meses depois nasce uma criança, a coisa tem de ser tratada muito seriamente! Afirmo aqui, categoricamente, que os pais de Eloá têm o sangue da filha nas mãos! Por quê? Simples! Quando eles iniciaram o namoro Lindenberg era um HOMEM de 19 anos e Eloá UMA CRIANÇA de 12 anos de idade. Pergunto: - Onde estavam os pais nessa hora? E o que mais acho um absurdo, é que o namoro é concedido pelos mesmos; onde vamos parar?

De 2001 a 2003 trabalhei numa escola do município de Boa Vista, com faixa etária de 07 a 15 anos. É lógico que hoje em dia a sexualidade está à flor da pele, e as crianças dessa nova geração “aprendem safadagem” muito mais cedo que nós antigamente, contudo, os pais têm de estar de olhos bem abertos! Ontem mesmo, fui à casa de uma amiga minha que trabalha na mesma escola onde fui inspetor, e a mesma me relatou que ontem três alunos (dois meninos e uma menina) de 10 anos foram deixados sem recreio por um mês, pois estavam os três dando maior amasso atrás da escola. Percebam isso: 10 anos, e já fazem coisas que nós demoramos a fazer! (pelo menos eu...).

O sexo está nas letras de músicas, filmes e telenovelas... E não há controle extensivo dos pais, a fim de filtrar as informações recebidas pelas crianças, assim como racionalizar e trabalhar da melhor forma o assunto.

Meninos (as) já têm seus namoricos com 12 anos de idades com colegas de escola de o que é natural, contudo, relacionamento sério com um indivíduo (seja homem ou mulher) com essa idade é prematuro e arriscado; uma pessoa nessa idade está iniciando a adolescência, descobrindo-se quanto Ser e é imperativo que essa fase seja extremamente cuidada.
Há coisas que devem ser mantidas “antiquadamente”; jamais permitiria que um filho meu com 12 anos, seja menino ou menina, namorasse com uma pessoa de 19 anos, que já está entrando na fase adulta, e por melhor gente que se possa aparentar, o caso de Lindeberg mostra que não conhecemos totalmente as pessoas.

Esse ano foi cheio de tragédias envolvendo crianças, e acredito que alguma coisa anda errada nessa relação pais e filhos. A taxa de natalidade vem caindo, as pessoas andam cada vez mais preocupadas com as questões profissionais, e parecem que anda negligenciando sua condição quanto pais; fazer filho é fácil, mas criar que é o negócio! Se não reúne condições psico-financeiras não faça filho! Ser pai ou mãe e renúncia, sacrifício, é sempre a criança depois você, e se não consegue ter este nível de desprendimento, seja o titio (a), padrinho (madrinha), mas não pais.
O desenrolar todo dessa história de terror já dava sinais que descambaria pra um final trágico. O “interessante” de se notar, é a total falta de ética da impressa e essa sanha desesperada pelo Ibope. Um verdadeiro espetáculo bizarro, com direito a exclusiva com o seqüestrador e tudo! Acho que o Linderbeg deve ter se sentido um verdadeiro astro do rock, pois ele parou o país e realmente cumpriu a promessa ao amigo de futebol quando disse que ele ainda iria ouvir falar dele.

Outro aspecto a se analisar e a condução da negociação. Pergunto-lhes: os três naquela casa não dormiam? Outra coisa, segundo o que li e vi nos jornais, o cara ficou seis vezes na linha de tiro, pergunto-lhe: não era melhor o Lindeberg, o bandido da história morrer, que a Eloá que era a vítima? Essa descupinha do responsável pela operação de que questionariam o porquê de ter atirado podendo negociar mais com o cara é pura balela! É história pra boi dormir, a fim de encobrir possíveis falhas.

Por fim, é ressaltar e aplaudir a coragem e o verdadeiro senso de amizade verdadeira que a amiga teve por Eloá ao voltar pro apartamento; debates a parte com relação se a polícia agiu certo ou não permitindo que a garota voltasse; afirmo aqui, que só faz esse tipo de coisa quem é realmente conhece o real sentimento da amizade, matando ou morrendo por quem gosta. Nesse mundo cada vez mais hipócrita, falso e cheio de segundas intenções, fazer o que a garota fez pela outra é de tirar o chapéu. Dizem que amigos é a família que agente escolhe, pois bem, Eloá morreu sabendo que tinha uma verdadeira irmã ao seu lado.

EXTRA:


Minha amada, velha e sábia mãe sempre diz que “quando a merda vêm, vem contudo!”. Além de ter perdido a filha, o pai de Eloá ainda perdeu o disfarce. O cara é ex-Pm que desertou e foi se esconder no interior de São Paulo, acusado de um monte de crime em Alagoas. É... A Lei de Deus (materializada e calculada na de Newton) da “ação e reação” é foda! E o Cristianismo com essa babaquise secular sem pé nem cabeça de Diabo, inferno, e julgamento... Meus irmãos anotem isso que lhes digo, tudo que aqui se faz, aqui mesmo se paga!

(8) Comments

  1. iara-alencar said...

    é só mais um caso que a midia resolveu explorar como se nao houvesse barbaridades diarias no país.

    23 de outubro de 2008 23:42
  2. paula barros said...

    1- Educar não é fácil. Muitos pais refletem a imaturidade emocional para lidar com a eduação dos filhos.

    2- Tenho amigas que acham ótimo quando as filhas adolescentes namoram homens mais velhos. Como se fossem garantia até de estabilidade.

    3 - Fico a me questionar quanto ao castigo de 1 mês sem recreio dado pela escola. Será que conscientiza os meninos do que estavam fazendo? Será que a escola através dos "educadores" estão educando para a sexualidade, para o dizer "sim e não" de forma consciente? E tantas outras questões.

    Fico admirada com a facilidade que você tem de expor as idéias.

    adoro, adoro.

    bjs

    24 de outubro de 2008 07:48
  3. Rívea Duarte

    Infelizmente o que vivemos é isso, é indigesto! Esse fato é mais comum do que imaginamos. Semana passada na cidade onde moro aconteceu algo parecido, a moça terminou com seu respectivo namorado que por sua vez não aceito; não satisfeito com a situação matou-a de uma forma brutal, a mesma concluiria o curso de Medicina no final deste ano! Definitivamente não sei onde vamos parar! Concordo com a Iara e com a Paula - quando cita o punição das crianças na escola, de fato não é o melhor caminho! Mas seremos conscientes e [re]flexivos com toda essa barbaria que somos obrigados a conviver todos os dias. Consciência maior ao educarmos nossas [futuras] crianças!

    Parabéns pela crítica, reflexão e sensibilidade perante aos fatos. Se a grande parte dos homens tivessem essa percepção, viveriamos melhor!

    Ótimo fim de semana.
    Beijú!

    24 de outubro de 2008 10:20
  4. lugirão said...

    Daniel, muito bom teu texto, esse caso no segundo dia já se via que ia terminar em tragédia, eu aqui já falava que tinham que atirar no camarada, pois achava que ele ia matar a garota, e olhe que nem fiquei acompanhando,mas fosse qual fosse a reação da polícia, sempre tem alguém que vai criticar, até mesmo para dar ibope, a imprensa nesse caso só atrapalha, só falta agora o cara processar a policia por danos morais, pois ele não tinha intenção de machucar as garotas, foi a ação da polícia qe o "induziu" a isso, ele atirou na cabeça das duas por puro nervoso, nunca teve intenção de machuca-las.

    Acho que os pais estão negligenciando seus filhos, e as meninas desde cedo começam a ser erotizadas com a permissão das mães, se vestem como adultas, usam salto, maquiagem.... eu só tive filhos(homens), mas sempre fui contra as meninas se vestiram como mulheres.

    Bom fim de semana, bjos

    24 de outubro de 2008 19:45
  5. Flávia said...

    Há outra música que combina bem com o caso: I used to love her, but I had to kill her.

    Nem sei o que dizer. Ainda tô perplexa.

    Beijo, Dan.

    25 de outubro de 2008 01:41
  6. Mr. Jairo Souza said...

    Bom... acho que estamos fadados a ouvir sobre este assunto em todos os lugares neaH!
    Enfim, foi trágico o que aconteceu! Porém não concordo com o seu ponto de vista de que a melhor forma de não permitir que essas coisas acopnteçam é proibir que nossos filhos que vivam suas vidas! Amantes irracionais existem em todos os lugares e em todas as idades! e o sexo tem que ser divulgado sim, não da forma utópica como é propagado, mas como uma funcinalidade que aparece no corpo de acada um mais dia menos dia! Acredito que com uma sociedade menos hipócrita, do tipo eu faria mas não deixo minha filha de 12 anos fazer ( sabe lah qual é o relógio biologico dela? e se ela ama? )acalçaríamos mais feitos!

    Meias Palavras precisa ser atualizado hein!
    abraços!

    25 de outubro de 2008 15:14
  7. Anônimo

    Que fato deprimente e triste!
    Beijos
    http://sex-appeal.zip.net
    http://cara-nova.zip.net

    25 de outubro de 2008 16:59
  8. Valéria de Oliveira said...

    Meu caro e querido - Dani-. Tiro o chapéu pro seu texto. Que pérola maravilhosa. Texto para refletir. E isso automaticamente gera uma reflexão profunda> Sobre a nossa educação! Educação de Pais com filhos...o olhar no olho, a conversa aberta, a orientação, a informação...Infelizmente estamos perdendo as nossas crianças de vista! O mundo gira em torno da modernidade, da informação de merda, onde sexo está de uma forma nojenta em todos os cantos. Começando pelas músicas de Funk.
    Parabéns. Adorei sua escrita.

    Um beijão.

    P.s Novo post no Arroto e no meu pessoal tb.

    26 de outubro de 2008 19:16