UM PAÍS DE MARAVILHAS?

Posted by : DANIEL MORAES | 23 agosto, 2010 | Published in

Em que País será que estou? Essa pergunta anda rodeando minha cabeça nesse pleito eleitoral. Sinceramente, me acho “um estranho no ninho”. Primeiro, percebo o obvio, vivo em um País de um Homem Só! O Brasil não mais foi descoberto em 1.500, mas sim, em 2002, quando Luís Inácio Lula da Silva virou Presidente (pelo menos é o que o Lulismo quer que agente pense).

Sobre sua égide o País teve bastante progresso, graças a três aspectos: Primeiro, a herança deixa do governo anterior. FHC não fez lá um grande Governo, mas há de se reconhecer que o mesmo deixou o país em boas condições. Economia em franca recuperação, inflação estável, um política social que se mostrou naquele momento necessária. Segundo, a Mundo em 2002 já se consolidara como Globalizado. As crises econômicas pós ano não foram tão “pesadas” quanto da década de 90, e se os Países (principalmente os do G-8) se encontravam em boas condições financeiras, o Mundo crescia e conseqüentemente carregavam o restante dos países a reboque (inclusive o Brasil, já que a política de arrocho fiscal tucana e petista – nos primeiros quatro anos – impossibilitou que o Estado crescesse mais que 5% ao ano), sendo assim, o Brasil cresceu sim, mas muito por ser puxado pela economia mundial que por si próprio. E por ultimo, após JK, o Brasil não tinham um Presidente que se comunicasse tão bem com as massas como o Lula.

Como a característica de nossa política é personalista, ou seja, não se vota no partido, nem nas cresças que deles advém, de suas bandeiras de luta, mas sim, no indivíduo, na pessoa que se candidata, e pela trajetória de vida de Lula (retirante nordestino, sem grau de instrução alto, operário) e pelos ótimos indicadores sociais e econômicos de seu governo, Lula passou a ser o principal personagem da política contemporânea...

Somado esses três fatores, o Brasil se vê em uma Campanha tendo como foco principal não Dilma e Serra, Marina e Plínio, mas sim, Lula! E é aí que posso afirmar que hoje Lula virou um Mito! Vivemos numa sociedade BBB, quase que totalmente alheia ao que realmente acontece, desprovida de capacidade crítica de analisar as coisas, e totalmente avessa as questões políticas. É claro que essa ultima questão, alia-se também aos atuais escândalos políticos desses 16 anos protagonizados pelos irmãos gêmeos PT/PSDB. Com tantos desmandos pipocando nos meios de impressa, acaba que fica maximizado para grande parte da população que “político é tudo igual”, que política “é coisa pra gente que não presta” e coisas afim, afastando da arena política pessoas de boa índole que poderia fazer a diferença positivamente.

Todavia, o que me chama atenção mesmo é o fato de que o Lula ainda continua candidato sem ser, ou seja, o que está em jogo nesse pleito é “a continuidade de seu governo”. Foda-se o que Dilma acha e quer pro Brasil, aliás, ela mesma toma atitudes de se colocar como segundo plano, ela seria a “melhor capacitada para dar continuidade os projetos do Presidente Lula”. E o que ela é então? No debate da Band, olhava para mesma e tinha pena... Um ser ofuscado pela sobra de seu “mentor”. Sinceramente, não havia como alguém que tem condições de postular tão cargo, uma pessoa que idéias próprias, defendendo planos próprios para os designos do Brasil, o que vi foi uma marionete que possivelmente ira se eleger não por graça e obra suas ou do PT, mas sim, por ser a indicada do Lula.

Serra é outro! (...) Tenta vincular-se a figura de Lula contando sua trajetória de vida, como também é oriundo de família pobre, tenta equiparasse com o Sapo Barbudo pela origem (ele agora é Zé). Tenta colocar-se como alguém que por mais que seja adversário, pode dar continuidade ao governo do atual mandatário. Mas só que vai perder, não por que Dilma seja melhor que ele, mas sim, por que ir contra a figura de um Mito é missão inglória! Segundo reportagem na revista Isto É!, Serra está com dificuldade de palanque. Segundo a matéria, até seus próprios companheiros estão desistindo de sua campanha. No Amazonas, Arthur Virgílio, Senador pelo PSDB e candidato a reeleição estava em terceiro no inicio da campanha e só conseguir na semana passada ficar em segundo, por que se desencilhou da figura do Serra.

Para muitos é sinal de que é a continuidade seja o melhor caminho, porem, pergunto-lhes que continuidade é essa? Se o Serra ganhar, nada irá mudar, ou esqueceram que os Tucanos defendem a mesma política social, econômica e política dos Petistas. O que mudará é só no nome dos projetos, O Bolsa Miséria, opa!, Família continuará e poderá ser mudado para “Bolsa Renda”, e o cartão deixará passará a ser verde, por exemplo! Talvez o PAC volte a ser “Acelera Brasil”, ou sei lá, “Vai Brasil!”. Em fim... Tudo será igual (é de certa forma continuísmo, não é mesmo?), ou será que alguém é tão tolo de achar que os Tucanos farão alguma coisa de diferente?

Essa “continuidade” é conversar para boi dormir! Pois tudo continua igual, politicamente falando! Houve avanços sim! Porém, não é mais que a obrigação de um Governo, e se outros não fizeram, problemas deles! Afinal, o Direito Administrativo Brasileiro versa que o homem publico em sua gestão deve primar pela “eficiência publica”, ou seja, Lula e seu governo apenas fizeram aquilo que lei manda, e PONTO!

Aquele que se eleger Presidente deve ser colocado no poder por defender melhores proposta para o povo e não por ser indicado ou modelar-se ao governo de Lula. Não se pode fazer o que o Lulismo está fazendo que é transformá-lo em um Mito. Nós quanto eleitores devemos analisar os perfis dos atuais candidatos e suas propostas, e fazer a escolha a partir desse parâmetro. Lula fez sim um ótimo governo, mas a tendência é que seu sucesso faça um governo melhor ainda pelas condições em que está recebendo o País, e se essa cadeia de bons governos continuarem, futuramente, figurará entres os principais Países do Mundo! O que precisamos é de políticos que independentemente da sigla, possa melhorar a situação de vida do brasileiro.

Que Serra, Dilma, Marina e Plínio não se enganem, pois ainda há muito o que ser feito, como as reformas estruturais que PT e PSDB não foram capazes de fazer. E é isso é que deve ser o foco dessa e de outras campanhas políticas, o que precisamos fazer, e não “quem vai dar continuidade ao que Lula fez”. Ele não é o Brasil! O Brasil é maior que todos e deve ser o foco desse pleito, o Brasil não o Lula, E PONTO FINAL!

pensamentos

  1. Valéria de Oliveira said...

    Bom é amigo. Bem vindo a tribo da indignação! Por isso Só Pensando meu caro. Além de nossos pensamentos, escrevemos e ainda temos a capacidade de argumentar sobre nossos direitos e toda a palhaçada em volta...

    Tem bomba nova por aqui...

    Bjk

    18 de setembro de 2010 13:32