CENAS DE ALICE*

Posted by : DANIEL MORAES | 06 fevereiro, 2009 | Published in

Alice é diferente das demais. Prefere ler Sartre que os livros ditos obrigatórios; acha que a frase “o inferno são os outros” deveria fazer parte da Bíblia. Sente-se estranha, pois gosta mais de seu “Mundo Cor-de-Rosa”, que do cotidiano chato e sem sal dos Seres dito normais. Mas nunca esteve muito aí para a “normalidade”, pensa ser uma mera questão de estatística, isto de ser normal.

Desabafa. Ama, e ama incondicionalmente... Às vezes, chateada por não ser correspondida, vomita tudo! Fala, grita... Num desespero, numa ancia e vontade de pôr todos os pontos nos “is”. A fase dos brinquedos passou, não espera e não gosta mais que os homens lhe tratem feito uma boneca (Barbie). Prefere ser tratada da forma que lhe é mais condizente, feito uma Rainha... Afinal, pra quê servem os machos senão abrir latas, transar (gostoso, por favor!) e fazer todas as vontades do mulheril?

Não gosta de ser única, possui várias formas. Quando lhe dá na telha vira Agatha, Renata, Débora, Aline, Ana, Carolina... Prefere sempre a multiplicidade. Os Seres unos são tão patéticos, fugazes e previsíveis, que chegam até a dá dó! (...).

Sente-se estranha no ninho muita das vezes. Sua cabeça martela de tanta enxaqueca (mas qual das? A física ou a moral). Festas, pessoas, pessoas e mais pessoas... Cigarro, bebidas, conversas paralelas, paqueras e ela ali... Um momento aí, por obséquio! (...) Banheiro, retoque na maquiagem, troca de batom, e por fim, uma nova cara de tédio até o final da noite.

Há dias em que o inferno está em nós mesmos... Foco, Alice, foco. Não vai fazer merda agora hein...

Às vezes seus sentimentos estão em gangorra. Gosta aqui, desgosta acolá... Quer dizer-lhe, “eu te adoro”; mas diz, “vai-te embora!”. Quis lhe pega pelos braços, tacar aquele beijo e jogar-se em sua cama. No entanto, pegou a chave do carro e foi embora chorar abraçada ao travesseiro.

Alice quer fazer amor e inda por cima (literalmente) gozar.
Amar e ser amada (só pra variar).
Compreensão e ombro amigo (chama à Monaliza).
Carro do ano e casa na praia (é pedi demais?).

Há dias em que o inferno está bem ali... Na divisa entre um sentimento e outro. Entre o ser e o que queria ter sido. Em meio ao dia-a-dia que transforma tudo que é bom, bonito e gostoso, em repetitivas falas de uma peça de teatro chata e piegas.

“Como ela adoraria compartilhar com suas tristezas simples e alegrar-se com suas brincadeiras ingênuas, lembrando-se da sua própria infância e daqueles felizes dias de verão”. (Alice no País das Maravilhas).

* Caros leitores dessa Bodega, o texto acima é o resultado (pelo menos eu acho) de minhas idas ao mundo de Alice. Recomendo a todos que me lêem a freqüentar o blog Alice e Sua Sombra. Os textos são deliciosos, tanto que tentei dar minha “versão” a eles. Há uma pesquisa lá perguntando-nos quem seria a Alice. Acredito que seja todas as mulheres em uma só. Vão lá e leiam-na, tenho certeza que não vão se arrepender.

(18) Comments

  1. paula barros said...

    Que texto legal. Ah, sou sua fã.

    E concordo sobre o inferno está em nós.

    abraços

    6 de fevereiro de 2009 18:24
  2. Katia said...

    gostei bastante d texto =)...
    ela é k é esperta....prefere viver no mundo cor-de-rosa...era lá que gostava de murar...((se bem que prefiro o verde loool)
    bjs bjs

    6 de fevereiro de 2009 20:25
  3. Índia said...

    Tb quero muitas coisas q Alice deseja. Garota esperta, mesmo.

    Beijao.

    6 de fevereiro de 2009 23:31
  4. Valéria de Oliveira said...

    Grande Danielo, sempre antenado!

    Ficou muito bom seu texto. Já me chamaram de Alice (risos e risos). Me identifiquei muito com ela sim.
    Vou ler com certeza.

    Um beijo e bom fim de semana.

    7 de fevereiro de 2009 09:35
  5. Anônimo

    Meus sinceros agredecimentos. Tão sinceros quanto lágrimas.

    Alice

    http://aliceesuasombra.blogspot.com/

    7 de fevereiro de 2009 12:37
  6. Anônimo

    Meus sinceros agredecimentos. Tão sinceros quanto lágrimas.

    Alice

    http://aliceesuasombra.blogspot.com/

    7 de fevereiro de 2009 12:37
  7. Anônimo

    Meus sinceros agredecimentos. Tão sinceros quanto lágrimas.

    Alice

    http://aliceesuasombra.blogspot.com/

    7 de fevereiro de 2009 12:37
  8. Philip Rangel said...

    Nos somos alvo do q pensamos....
    o personagem mesmo acreditava nisso....


    abraçao

    7 de fevereiro de 2009 12:56
  9. Mila said...

    Déniel (assim, em inglês).
    O mais assustador é ter me visto em várias partes deste texto, com exceção daquela de que homem só serve pra transar gostoso, entre outras coisas. Eu não sou revoltada com homens. Acho vcs bem legais. Rsrsrs.

    7 de fevereiro de 2009 15:06
  10. J. Neto said...

    Como seria bom se algumas mulheres fosse como a Alice :)

    Vou lá conhecer o blog!

    Abraços e bom fds também!

    7 de fevereiro de 2009 15:13
  11. angel bar said...

    Convite para Long Drink "Morning Flight" no Angel Bar.

    Bom Fim de Semana.

    7 de fevereiro de 2009 16:52
  12. Viver é Bom ! ! ! said...

    Daniel,
    Adorei sua versão...
    Todo mundo tem um tanto de Alice...
    Me fez pensar.
    Pensar.
    Pensar.
    Amei.

    Beijo !
    Solange Maia

    http://eucaliptosnajanela.blogspot.com

    8 de fevereiro de 2009 19:00
  13. Naty said...

    Obrigada pelo elogio sobre o meu texto "O vento e seu mensageiro"! Estou voltando gostar do que escrevo e escrevendo constantemente graças ao blog. Muitas coisas que eu postei foram escritas quando eu tinha 15 anos.

    Sobre o sei post, eu adorei. E te recomendo, mesmo sem ter lido ainda, "Lost Girls" do Alan Moore. Já ouvi um pouco sobre este quadrinho, certas coisas nós fazem pensar sobre o verdadeiro sentido de alguns contos de fadas, e outras são assutadoras msm. Mas tudo é só que eu ouvi falar, ainda não tirei minha proprias conclusões.
    ^^

    8 de fevereiro de 2009 20:11
  14. luzdeluma said...

    Daniel, não tive tempo durante a semana de vir aqui dizer que citei um texto seu, na postagem anterior a atual lá no "Luz". Estou gostando de ler as suas escrituras. Sobre o 'inferno são os outros', eu escrevi um texto tempos atrás e citei essa frase de Sartre e não é que apareceu uma mocinha (será que foi Alica?) dizendo que eu tinha copiado a frase 'dela'. Poxa, cara de pau a guapa, pois todo mundo sabe de quem é a frase! Quisera eu ter tido a idéia e tê-la remetido a bíblia, não teria tanta dor de cabeça. Boa semana! Beijus

    8 de fevereiro de 2009 20:34
  15. luzdeluma said...

    Ah, Daniel, quero deixar claro que a Alice a qual me referi no comentário, nada tem haver com a Alice dona do blogue citado no seu texto. Beijus

    8 de fevereiro de 2009 20:38
  16. Jairo Souza said...

    Bonito texto Daniel! Abçs!

    9 de fevereiro de 2009 01:06
  17. Anônimo

    Alice ouviu dizer que vem sendo citada por aí.

    É meio controversa, por não gostar muito de exposição, mas (ou: e) volta ao seu cantinho para agradecer novamente.

    E aos demais: ela não gosta muito de dizer... Mas tem coisas novas por lá. Quase sempre.

    Monaliza (amiga de Alice)

    9 de fevereiro de 2009 15:05
  18. Tássia Jaeger said...

    Nossa, me senti a Alice descrita por ti. Ainda mais na parte que ela quer dizer que ama, mas manda embora...hehehehe

    15 de fevereiro de 2009 15:26