TEVE DIAS

Posted by : DANIEL MORAES | 23 maio, 2008 | Published in

Teve dias que eu te amei, e imaginava.
Tua figura adentrando minha casa.
Como quem reverencia um ser divino,
Colocava-me aos teus pés,
E pedia, resignado, suplico,
Que não me deixasse nunca!

Teve dias que eu te odiei, e imaginava.
Tua figura vindo em minha direção,
E eu louco, como que possuído por um ser maligno,
Com requintes de crueldade, te matava.

Teve dias em que somente te ingnorei.
Não mais pensava-te.
Esqueci por completo você.
Como quem chupa o suco da laranja e joga fora o bagaço,
Como quem joga fora um móvel que não mais tem precisão,
Feito um excremento privada abaixo.

Teve dias que enlouqueci.
Andava sem rumo em meio a casa
Sem prumo,
Sem norte,
Desatinei.
Fala sozinho,
Gritava,
Xingava,
Batia...

Te amei...
Odiei...
Ignorei...
Enlouqueci...

Mas sempre, em todas as situações,
Uma pergunta chata,
Renitente,
Martelava em minha cabeça:

- O que ela quer de mim?
- O que ela quer?
- O que ela?
- O que?
- Quer?

Por: Daniel Moraes.

(3) Comments

  1. Iara said...

    Ela quer o que você está ocultando.

    Anda inspirado meu caro.

    23 de maio de 2008 13:51
  2. Tetê

    Daniel, obrigada pela visita! Bom final de semana!

    23 de maio de 2008 16:14
  3. Camilla Boyle said...

    Hehehe, também tenho dias assim, em que vou sentindo várias coisas diferentes... mas é essa incostância que dá o verdadeiro sabor à relação.

    E concordo com a Iara: voce anda inspirado, Daniel.

    Beijos (e peço desculpa por não ter aparecido por cá, mas já sabe como é ter que estudar para as provas =D). Bom domingo

    25 de maio de 2008 07:09