BLUES

Posted by : DANIEL MORAES | 26 maio, 2008 | Published in

Curtida em vinho do velho mundo
Vestida em taça de cristal
Servida na mesa do fundo
Bouquet de elixir floral.

Você pede violinos e um tenor
Mas Vênus, eu só sei cantar o blues
Celebrando sua forma e cor
Escorregando por teus ombros nús
De neve
Que eu anseio derreter
Tão breve
Quanto as velas que dão brilho ao teu colar
Como o gelo que existia em teu olhar.

Você pede o embalo de valsas
Pra desfilar tuas costas descalças
Mas Vênus, eu só posso oferecer
Uma guitarra em fúria
Pra destilar todo seu charme
Toda a sua luxúria.

Autor: Louis.

Esse poema faz parte da Comunidade Orkutiana Poesias Lidas & Vividas. É uma das poucas comu de poetas que vale a pena adicionar.

EXTRA:

Não é por acaso que ando ultimamente postando poemas nessa bodega. Ando sem tempo pra escrever crônicas, pois meu trabalho anda bem puxado. Vão me desculpando aí viu?

Sônia meu bem, me desculpa, era pro nosso Projeto começar esse final de semana mais não deu. Arranjarei tempo essa semana.

Só vejo 1 na minha frente, e a diferença é de apenas dois pontos. Esse ano, MENGÃO vêm com tudo!!!

Boa semana a todos.

Por: Daniel Moraes.

(4) Comments

  1. Fernando Araújo

    Imaginei que esse blues fosse teu magrelo. É um poema muito bonito. O teu lado poeta está chegando com força né cara? Um abraço.

    26 de maio de 2008 11:53
  2. Iara Alencar said...

    Entendo, entendo, mas só perdôo se mandar ver no próximo crônica rsrsrs.
    Eita deixa seu Ágil ver isso!!
    Esse poema me lembra a musica “se” do Djavan.

    26 de maio de 2008 13:39
  3. Graziele Alencar said...

    Vinho e blues... pra que mais?
    Boa semana pra você!
    Beijos.

    26 de maio de 2008 21:23
  4. Mr. Jairo Souza said...

    tudo in blues!
    ótimo poema!

    27 de maio de 2008 10:56