NIETZCHE – O FILÓSOFO DO PENSAMENTO CRÍTICO

Posted by : DANIEL MORAES | 15 abril, 2008 | Published in


Acho que todo mundo tem o seu autor predileto não é verdade? Cada um de nós tem um tipo de literatura, um livro e um autor que nos identificamos não é mesmo? Não é segredo pra ninguém que o meu Filósofo de plantão é Friedrich Nietzche.

Friedrich Wilhelm Nietzsche nasceu em Röcken, e foi um influente filósofo alemão do século XIX. Crítico da cultura ocidental e suas religiões e, conseqüentemente, da moral judaico-cristã. Associado equivocadamente, ainda hoje, por alguns ao niilismo e ao nazismo - uma visão que grandes leitores e estudiosos de Nietzsche, como Foucault, Deleuze ou Klossowski procuraram desfazer - juntamente com Marx e Freud - Nietzsche é um dos autores mais controversos na história da filosofia moderna.

Por que eu considero Nietzche O Filósofo do Pensamento Crítico? Abaixo segue um resumo de suas idéias.

Nietzsche, sem dúvida considera o Cristianismo e o Budismo como "as duas religiões da decadência”, embora ele afirme haver uma grande diferença nessas duas concepções. O budismo para Nietzsche "é cem vezes mais realista que o cristianismo” (O anticristo). Religiões que aspiram ao Nada, cujos valores dissolveram a mesquinhez histórica. Nietzsche quis ser o grande desmascarador de todos os preconceitos e ilusões do gênero humano, aquele que ousa olhar, sem temor, aquilo que se esconde por trás de valores universalmente aceitos, por trás das grandes e pequenas verdades melhor assentadas, por trás dos ideais que serviram de base para a civilização e nortearam o rumo dos acontecimentos históricos. E assim a moral tradicional, e principalmente esboçada por Kant, a religião e a política não são para ele nada mais que máscaras que escondem uma realidade inquietante e ameaçadora, cuja visão é difícil de suportar. A moral, seja ela kantiana ou hegeliana, e até a catharsis aristotélica são caminhos mais fáceis de serem trilhados para se subtrair à plena visão autêntica da vida.

O homem é um filho do “húmus” e é, portanto, corpo e vontade não somente de sobreviver, mas de vencer. Suas verdadeiras “virtudes” são: o orgulho, a alegria, a saúde, o amor sexual, a veneração, os bons hábitos, a vontade inabalável, a disciplina da intelectualidade superior, a vontade de poder. Mas essas virtudes são privilégios de poucos, e é para esses poucos que a vida é feita. De fato, Nietzsche é contrário a qualquer tipo de igualitarismo e principalmente ao disfarçado legalismo kantiano, que atenta o bom senso através de uma lei inflexível, ou seja, o imperativo categórico: “Proceda em todas as suas ações de modo que a norma de seu proceder possa tornar-se uma lei universal”. Em Nietzsche encontra-se uma filosofia antiteorética, sistemática, à procura de um novo filosofar de caráter libertário, superando as formas limitadoras da tradição. Portanto toda a teleologia de Kant de nada serve a Nietzsche: a idéia do sujeito racional, condicionado e limitado é rejeitada violentamente em favor de uma visão filosófica muito mais complexa do homem e da moral.

O cara é doido né não? Ele é a sintese do Pensamento Crítico. O dogmatismo religioso que impede a evolução do Espírito é colocado em xeque em Além do Bem e do Mau. Critica demolidoramente as filosofias metafísicas em todas as suas formas, e fala da criação de valores como prerrogativa nobre que deve ser posta em prática por uma nova espécie de filósofos. Assim Falou Zaratustra influenciou significativamente o mundo moderno; amplamente baseado em episódios, as histórias em Zaratustra podem ser lidas em qualquer ordem. Zaratustra contém a famosa frase "Deus está morto". Em a Genealogia da Moral, pretende responder às perguntas que ele coloca no prólogo: Em quais condições o homem inventou os juízos de valor expressos nas palavras bem e mal e que valor possuem tais juízos? Estimularam ou barraram o desenvolvimento até hoje? São signos de indigência, de empobrecimento, de degeneração da vida?

Nenhum filósofo conhecido usou o pensamento crítico como ele! Muitos o consideram o filósofo da moral, pois discutiu o tema em todos os seus ambitos. Não li ninguém que tenha tido tanto peito pra botar em xeque, todas as noções viciadas, carcomidas e escravagistas que os próprios Seres Humanos se impuseram.

SALVE, SALVE NIETZCHE!
O FILÓSOFO DO PENSAMENTO CRÍTICO

(6) Comments

  1. Iara said...

    O amigo poderia instalar o haloscan.
    é otimo e mais ágil.
    www.haloscan.com
    faça um cadstro primeiro, depois é so instalar, é muito fácil.

    Cada autor tem sua época, talvez nos dias de hoje ele nao conseguisse absolutamente nada.

    16 de abril de 2008 16:05
  2. Daniel

    Iara: Nietzche é o típico autor atemporal. Seus pensamentos e críticas continuam atual. Mas é questão de gosto literário, e cada um tem um.

    16 de abril de 2008 17:23
  3. Júlio

    Meu autor preferido sou eu mesmo.

    16 de abril de 2008 22:29
  4. Daniel

    Júlio: É... Dentro da blogoesfera vc é imbatível! Não é a toa que te considero o melhor crônista de todos nós.

    17 de abril de 2008 09:03
  5. Fábio Alves

    Não conheço muito a respeito dele, mas valeu o seu mega-resumo. Ainda preciso dar uma segunda, talvez terceira, lida para assimilar um pouco mais. Cara complexo, hein! Rs.
    Abraço

    17 de abril de 2008 12:25
  6. A Bruxa said...

    Conhecer bem os nossos autores favoritos faz bem.

    17 de abril de 2008 19:01